Conferência internacional de neuroética pretende avaliar, do ponto de vista ético, o uso do placebo na área clínica e na investigação

O Instituto de Bioética da Universidade Católica Portuguesa promove, a 10 de março, uma nova edição do ICONE, conferência internacional de neuroética, que reúne, em Portugal, um conjunto de especialistas da área. O encontro deste ano tem como temaPlacebo. Ethical issues of “cure by nothing” e centra-se na avaliação, do ponto de vista ético, do uso do placebo na área clínica e na investigação. Promovida no âmbito do ciclo de seminários “Mente à Sexta-feira”, que se integram na linha de investigação em neuroética coordenada por António Jácomo, a iniciativa pretende abrir o debate entre as neurociências e a neuroética, encontrando convergências éticas relativas a valores e princípios e, também, uma metodologia para uma possível cooperação no futuro.

O ICONE3 conta com a presença de um conjunto de keynote speakers, entre os quais se destaca o nome de Andrea Lavazza (do Centro Universitario Internazionale – Arezzo, em Itália), de Carlos Almeida Pereira – da Fundação para a Ciência e Tecnologia e que a assume a coordenação nacional do ERA-NET, projeto que apoia a investigação nos diversos campos da neurociência – e, ainda, de Luisa Barros (da Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa). Também António Jácomo, professor e investigador no Instituto de Bioética da Universidade Católica Portuguesa, e o investigador Miguel Pais Vieira participam na conferência que cruza os dados de recentes estudos e de métodos imagiológicos que acendem a discussão sobre os mecanismos que sustentam o efeito placebo.

Que desafios apresenta o placebo para a neuroética?

Intimamente ligado com as bases neuronais da dor, o placebo apresenta-se como um enorme desafio para a neuroética, pela relação que possui com o interesse do paciente ao ser privado de um tratamento convencional pela decisão de uma “roleta” que ditará a sua inclusão num grupo de tratamento no âmbito de um ensaio clínico. A neurofilosofia contemporânea e as implicações neuroéticas, a relação entre o médico e o paciente, a forma correta de lidar com os desafios éticos do placebo e a importância do seu uso em ensaios clínicos são alguns dos grandes temas em análise durante o encontro.

Refira-se, ainda, que na sessão de encerramento do ICONE3 estarão alguns dos maiores peritos nacionais na área, nomeadamente Walter Osswald – especialista com um percurso ímpar na Farmacologia, na Terapêutica (ensaios clínicos) e na Bioética. Também Alexandre Castro Caldas, diretor do Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica Portuguesa, e Nuno Sousa, médico e professor catedrático na Escola de Ciências da Saúde da Universidade do Minho, marcam presença no fecho da 3ª edição da conferência internacional, que tem lugar no auditório principal da Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa. Mais informações em http://www.bioetica.porto.ucp.pt/pt/ICONE.